Mensagem das autoras

Bem vindos ao blogue.
Esperamos que encontrem por cá ajuda para os vossos problemas ou para resolver as vossas curiosidades.
Caso não encontrem respostas às vossas dúvidas, não hesitem em escrevê-la num comentário, na Cbox ou num e-mail.
Apesar de termos alguns conhecimentos de saúde, não somos veterinárias e não sabemos diagnosticar os vossos coelhos, assim como não compactuamos com negligência. Casos de doença são para os veterinários.
Não pretendemos afirmar-nos como autoridades, mas sim facultar um local onde se possa aprender um pouco mais.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

2 meses de Coelho Anão

Fazem hoje dois meses desde que este blogue foi "aberto ao público". 27 de Novembro foi o dia em que dei a conhecer o blogue do coelho anão ao mundo.

Hoje, após dois meses já tivemos por aqui quase 1500 visitas (1439), enquanto que as exibições de página ultrapassaram largamente as 3500 (3716).

A maioria das visitas é de Portugal, seguida de leitores do Brasil. Ainda assim conseguimos visitas de países como os E.U.A., Japão, Luxemburgo, Alemanha, Polónia, Noruega, Bélgica, Uruguai, Reino Unido, China, Moçambique e França.

Os posts vão sendo criados de acordo com as necessidades que os meus leitores apresentam: através de análise das palavras chave que usaram para encontrar este sítio, vejo quais as maiores necessidades de conhecimento que vão tendo e vou tentando corresponder às expectativas. Se quiserem ser mais directos, podem sempre perguntar num comentário ou mesmo na Cbox.

Peço desculpa por o blogue não andar na fase mais produtiva, mas a nível pessoal está complicado. A meio de Fevereiro o blogue volta a arrebitar.

E já agora, dêem uma ajudinha ali com a pesquisa no canto superior direito, pode ser? Oh por favor?

domingo, 25 de janeiro de 2009

Coelhos e viagens

Muitos perguntam-se como hão-de fazer para viajar com os seus coelhos. Seja de transportes públicos ou transporte próprio, é necessário acomodar convenientemente o seu coelho. As viagens longas podem ser muito stressantes para os coelhos, e se está a planear ir de férias, o ideal seria conseguir que alguém cuidasse dele em sua casa. Contudo, se tem de se mudar ou não tem hipóteses de arranjar alguém que cuide dele, tem de atentar numa série de aspectos.

Transportadora

Se está a pensar viajar com o seu coelho em transportes públicos a transportadora é essencial. A maioria das companhias de transportes em Portugal autorizam o transporte de coelhos desde que devidamente acondicionados em transportadoras. Esta deverá ser suficientemente grande para que o seu coelho se possa mexer e deitar à vontade e deve ser resistente. Para viagens deste género, e uma vez que podem obrigá-lo a colocar o coelho juntamente com a bagagem, o ideal será uma transportadora de plástico para gatos, pois tem espaço e em princípio será resistente. Lembre-se que o coelho já deverá estar confortável na transportadora, pelo que deve comprá-la com antecedência e deixá-la aberta com um brinquedo ou um alimento para que o seu coelho a possa explorar. Se planeia levar de carro e a gaiola cabe confortavelmente, então poderá dispensar a transportadora e levá-lo na própria gaiola.

Habituar o coelho a viajar

Se conseguir, o melhor a fazer antes de submeter o coelho a uma longa e exaustiva viagem é percorrer curtas distâncias nas mesmas condições a que irá ser submetido durante a viagem longa. Vai fazer com que o seu coelho se habitue a estar na transportadora e ao movimento do veículo. Lembre-se que o fundo deverá ter litter absorvente para não provocar cheiros nem descuidos para fora da gaiola.

Planear com antecedência

Tendo em conta que convém distrair o coelho durante a viagem, tem de planear tudo com antecedência. Deve ter comida (especialmente feno) disponível para viajar, assim como o bebedouro cheio de água e um ou dois brinquedos. Se pretende ficar num sítio durante algum tempo, certifique-se que lá existe a comida a que o seu coelho está habituado, ou leve provisões suficientes para o tempo que irá estar lá (de preferência um pouco mais, para o caso de haver algum imprevisto). Se for para algum hotel, certifique-se que autorizam a estadia de animais. Se for viajar para outro país, contacte as autoridades competentes para saber se existem pré-requisitos (como vacinação, boletim de saúde, quarentena, microship, atestado de saúde passado por um veterinário, etc.).


Faça paragens

Se for possível, faça paragens de meia em meia hora e brinque um pouco com o seu coelho e incentive-o a comer. Isso ajudará a aliviar o stress e evitará um jejum prolongado, pois alguns coelhos não gostam de comer durante a viagem. Tenha especial atenção para que não fuja, pois pode ser atropelado ou escapar para algum sítio inacessível.

Previna golpes de calor e sobreaquecimento

Os coelhos são muito sensíveis à temperatura, por isso terá de se certificar que as temperaturas não são demasiado elevadas e que há condições para o coelho respirar devidamente. A transportadora deve ser bastante arejada, o sol não deve bater directamente no local onde o coelho se encontra, deve providenciar circulação de ar (contudo, atenção ao ar demasiado frio, que lhe pode provocar constipações, por isso pode colocar uma toalha entre o coelho e a origem da ventilação, providenciando arrefecimento e não deixando o ar seguir directamente para o animal) e não deixe o seu coelho sozinho no veículo fechado.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Respostas a várias perguntas dos últimos dias

Peço desculpa por não andar muito por cá, mas tenho tido problemas com a internet. Não tenho podido responder aos leitores como queria, mas vou tentar resumir e dar uma resposta um pouco mais alargada às perguntas que me foram fazendo.

Gêisa: Olá, é aconselhável levar o coelho pra correr em lugar de grama, tem riscos de doenças e o uso de coleira nesses casos?
Gêisa, existem três tipos de perigos quando se leva um coelho a esses sítios: predadores (cães, gatos, aves de rapina) que possam ferir ou até matar o seu coelho, ervas tóxicas que o seu coelho possa ingerir (às vezes basta uma folhinha) e doenças (desde parasitas externos como pulgas até vermes ou vírus que possa apanhar). Por isso, se quiser levar o seu coelho a passear tem de se assegurar que pode alcançá-lo a qualquer momento para o proteger de outro animal ou de o impedir de comer, e tem de estar desparasitado e vacinado, para que haja menor probabilidade de apanhar alguma doença.

Gêisa: é normal ele, filhote, chegar a nova casa e não querer comer nem beber água? Desde 11 da manhã de hj que ele não bebe água, na verdade bebeu sim, mas muito, muito pouco.
A hidratação é fundamental num coelho, assim como o sistema gastro-intestinal estar vazio é um grande perigo, pois pode criar gases e morrer. Se o coelho não come e é novo em casa, pode ser por não estar habituado à alimentação que lhe está a dar. Tente sempre hidratá-lo, nem que seja com o seu dedo com gotas de água, e tente dar-lhe alimentos que ele aprecie, para que tenha sempre algo no estômago.

Andrea: tenho um fuzzi lop de mais ou menos um mês, estou meio preocupada pela urina dele ser meio leitosa, não sei se é normal ou não. Tambem ele teima em comer a ração do cachorro! Antes ele comia a dele normal, mas agora ignora completamente
A urina leitosa é excesso de cálcio. E esse excesso pode vir da pedra de cálcio, de alfafa ou neste caso especificamente, da ração do cão. Sendo que tem cerca de um mês, quer dizer que saiu cedo demais da mãe e pode estar em perigo de vida, leve ao vet para confirmar que está tudo bem com ele e que não se vai tornar em mais um caso de morte súbita de coelhos que saem de perto das mães demasiado cedo. Quanto à ração de cão, não a pode dar. Contém produtos animais que são muito perigosos para o coelho e provavelmente será a fonte de cálcio em excesso do seu coelho, pois a ração contém ossos triturados. Desde que continue a comer feno, não precisará de ingerir muita ração. Deixe-lhe a taça com um pouco de ração e quando a fome apertar ele comerá.

Gêisa: O meu baby é um fuzzy de pouca mais de 30 dias, e não come ração, ele não gosta. Mas é importante para a alimentação dele né? Tenho lhe dado cenoura, morango, couve, banana mas a ração...
Sim, a ração é muito importante porque fornece nutrientes que são mais difíceis de dar com outros alimentos. A banana deve ser dada com muita moderação e apenas uma vez por semana. As couves devem ser de folhas escuras, as de folhas claras não são aconselhadas. Mas tndo em conta que o seu coelho tem tão poucos dias, aconselho-a vivamente a levá-lo ao vet, pois tal como o anterior pode estar em perigo de vida. Tem de ter muita atenção pois nesta fase a introdução de vegetais é muito controversa, há quem afirme que só se deve começar aos três meses porque antes disso é demasiado cedo.

Andrea: eu não sei a idade dele exata, acho q é de mais ou menos um mês....teria mt problema eu ja dar verduras e frutas pra ele...ou melhor esperar crescer?
Tal como referi anteriormente, o ideal é não abusar antes dos 3 meses. Pode introduzir vegetais seguros (consulte a lista que existe no blogue), apenas um por semana para ver se não faz diarreia. De preferência comece com couve de folhas escuras, bróculos e pode dar maçã como guloseima (a fruta deve ser dada com moderação porque tem muito açúcar).

Tayenne: Minha coelha ou coelho(Não sei se é macho ou fêmea)está com duas partes rochas ao lado onde faz xixi uma de cada lado parecendo "2minhocas" dentro dela,pode me ajudar??quero saber o q é!
Dependendo da idade dele e do que é, podem ser apenas os testículos a descer. Se tiver uma pelada (zona sem pêlo) de cada lado dos genitais e ele já tiver pelo menos 3 meses, então é provável que seja isso mesmo. Se for mesmo algo que pareça parasita, deve levar imediatamente ao veterinário.

Anônimo disse: alguem sabe a razao porque os coelhos começam a morder?
Depende de muita coisa. Pode ser por ter atingido a puberdade e estar a defender território, pode ser por ter ficado com medo por alguma razão e defender-se tentando morder, pode ser por ter sofrido algum trauma e ter ficado violento.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Ovulação nas coelhas

Muitos têm chegado a este blogue através de pesquisas sobre o cio das coelhas. Quais os sinais, quando é que uma coelha está com o cio... Nada como mais um post, desta vez para desmistificar o cio e ovulação das coelhas.

Quando é que as coelhas estão com o cio?

As coelhas, ao contrário de muitos outros animais, não têm alturas do ano em que estão com o cio ou aptas a acasalar. Na maioria das espécies, as fêmeas têm ovulação de X em X tempo e é nessa altura que estão mais aptas a acasalar e a procriar. Contudo, as coelhas têm ovulação induzida, o que permite que estejam aptas a procriar todo o ano.

Como saber se a coelha está receptiva?

O que pode mudar nas coelhas é o facto de estarem mais ou menos receptivas a acasalar (geralmente estão receptivas entre 7 a 14 dias, estando menos receptivas durante os dois dias seguintes). Não existem sinais de que uma fêmea está receptiva, a não ser nalguns casos em que a vulva está vermelha-arroxeada e inchada, ou naqueles em que a coelha levanta o quadril ao ser acariciada. Durante 90% do tempo, a fêmea está disposta a aceitar um macho e procriar, e mesmo nos 10% restantes existe a possibilidade de ela emprenhar, embora se denote maior agressividade em relação ao macho e menor taxa de sucesso (cerca de 10% das ocasiões).

O que acontece se a coelha copular quando já está prenhe?

Mesmo quando uma fêmea está prenhe, ela pode aceitar a cópula (especialmente na segunda metade da gravidez), sem qualquer consequência para os embriões em desenvolvimento. E, ao contrário do mito, nunca ocorrerão duas gravidezes simultâneas com partos e desenvolvimentos diferentes. Contudo, não é de aconselhar a permanência do macho junto da coelha assim que ela emprenhe (e muito menos após o nascimento, pois as possibilidades de ela voltar a emprenhar e de o macho matar os láparos são muito elevadas).

Quando é que a coelha tem a ovulação?

Quando à indução da ovulação, ela ocorre cerca de 10 a 13h após a cópula. Os mecanismos de libertação dos óvulos são induzidos pela cópula em si, sendo que uma fêmea pode induzir outra fêmea a ovular (o mesmo acontecendo com machos castrados), resultando muitas vezes em gravidez psicológica. Esta libertação faz com que os óvulos e espermatozóides se encontrem no local certo para se fundirem. Contudo, muitos criadores optam por voltar a juntar o casal no dia seguinte à primeira cópula para tentar aumentar o número de óvulos fertilizados e a taxa de sucesso.

O que temos de reter?
  • as coelhas estão em cio permanente, pelo que podem procriar a qualquer altura
  • não existem sinais que provem com toda a certeza que a coelha está mais receptiva (contudo a vulva vermelha-arroxeada e inchada e o levantamento dos quadris podem ser bons indicadores)
  • as coelhas não devem estar juntas com machos a não ser quando estão ambos castrados/esterilizados ou no momento da cópula planeada
  • um coelho castrado ou uma fêmea podem induzir gravidez psicológica na coelha (ver post sobre os riscos da gravidez psicológica)
  • uma coelha pode voltar a emprenhar imediatamente a seguir ao parto, embora só o deva fazer após seis meses para que possa
  • a ovulação é induzida após a cópula

Resposta - o que fazer nos primeiros dias

14 Jan 09, 16:21
Ana: Olá, gostaria de saber o que fazer com o coelhinho no primeiro dia, para q ele se sinta melhor na nova casa!


Olá Ana, tal como prometido aqui fica o post com a compilação de textos que deve ler para que saiba o que deve fazer. O essencial nos primeiros dias é dar-lhe espaço para que se sinta livre de explorar sem medo. Para si, o melhor é saber o básico para o tratar, porque quanto mais se sabe, menos medo se tem de não compreender o que o nosso coelho nos quer dizer.

Como conquistar o seu coelho - aqui encontra o essencial para saber como deve reagir nos primeiros dias da estadia do seu coelho consigo.

O que comprar - os básicos - para o seu coelho estar confortável em casa deve ter tudo o que necessita para se sentir bem. Neste post encontra tudo o que um coelho deve ter. Se ainda não tem tudo, não desespere, basta passar hoje ou amanhã numa loja de animais e adquirir os restantes.

Os básicos da alimentação - como é lógico, um coelho deve ter uma alimentação correcta para se sentir bem. Este post penso que explica tudo, mas se continuar com dúvidas, consulte a lista de alimentos que indica o que um coelho pode ou não comer.

Ideias para brinquedos - os brinquedos são essenciais para o coelho por isso se quiser tirar ideias para brinquedos, consulte este post.

Comportamentos comuns, hábitos e linguagem - para não achar que algo de estranho se passa com o seu coelho e para o compreender melhor.

Espero que seja esclarecedor e obrigada pela participação.

sábado, 10 de janeiro de 2009

Check-up semanal do coelho

Pelo menos todas as semanas terá de fazer um check-up geral ao seu coelho, para assegurar que está tudo nas condições devidas. Esse check-up engloba verificar o pêlo, a pele, as orelhas, os olhos, os dentes, o peso e as unhas.

Pêlo

O pêlo dos coelhos necessita de escovagem regular. A periodicidade com que o deve fazer depende da época do ano e do tipo de pêlo do coelho. Naturalmente, coelhos muito peludos em época de perda de pêlo vão precisar de uma escovagem diária, enquanto que coelhos de pêlo curto não terá de ser tão frequente. Além disso, para manter um pêlo bonito terá de se ver livre de nós e pêlo enrolado.
E porque é isto importante? Os coelhos limpam-se regularmente, utilizando a sua língua para limpar o pêlo. Tal como nos gatos, esse pêlo vai parar ao estômago, só que os coelhos não têm a capacidade de vomitar. Assim, se se formarem bolas de pêlo no estômago do seu coelho, ele deixará de conseguir alimentar-se e poderá ficar anorético, levando à sua morte.


Pele

Deve procurar sempre verificar o estado da pele do seu coelho. Se existirem peladas, zonas com crostas, pintas pretas (vestígios de pulgas) deverá sempre encaminhá-lo ao veterinário. Contudo, se já está habituado a desparasitar o seu coelho e o veterinário já lhe indicou as doses correctas a utilizar, pode sempre fazer desparasitação em casa se encontrar vestígios de pulgas.
As peladas e crostas não são normais, por isso não espere para ver se desaparecem, pois podem ser algo grave (como a sarna).


Unhas

Como os coelhos não têm tendência para desgastar as unhas a arranhar postes ou tapetes, as suas unhas precisam de ser cortadas regularmente, dependendo sempre da velocidade a que crescem. Aqui no blogue já existem vídeos que explicam exactamente como deve cortar as unhas ao seu coelho, sendo mais fácil o seu visionamento do que a explicação completa. Contudo, fica um diagrama explicativo (clique na imagem para aumentar).


Olhos

Os olhos devem apresentar-se sempre limpos, sem remelas nem vestígios de lágrimas. Deve verificar sempre o estado dos olhos do seu coelho para assegurar que não existe nenhum problema. Os olhos devem estar brilhantes e a zona envolvente limpa e seca. Se detectar algum problema lave com soro fisiológico e consulte o seu veterinário.

Orelhas

Os coelhos, especialmente os orelhudos, são muito atreitos a otites e outros problemas a nível auricular. A melhor maneira de ver se está saudável é pegar numa bola de algodão e limpar a orelha. Se existirem vestígios negros deve dirigir-se ao veterinário, pois é sinal de que o seu coelho tem parasitas auriculares que poderão provocar no futuro ou até já estarem a provocar otites. A quantidade de cera não deve ser abundante.

Dentes

Os dentes podem apresentar diversas patologias, por isso é sempre importante verificar se cresceram demasiado e a sua nutrição está comprometida. Os dentes dos coelhos crescem constantemente e, embora o feno seja o ideal para ele os desgastar, assim como alguns brinquedos, às vezes não é suficiente. Para avaliar o estado dos dentes comece por verificar se o queixo se apresenta molhado. De seguida ponha o seu coelho de barriga para cima e verifique o tamanho e direcção de crescimento dos dentes da frente. Se estiverem grande dirija-se ao veterinário para que ele avalie e/ou corte os dentes. Pode pedir-lhe para o ensinar a cortar em casa.

Peso

O peso do seu coelho deve ser controlado pelo menos de duas em duas semanas. Este controlo é muito importante pois, quer em casos de obesidade, quer em casos de anorexia, a saúde do coelho está comprometida. Use uma balança de cozinha que seja bastante sensível (as digitais são mais eficientes neste caso). Para se assegurar do peso normal, basta perguntar ao veterinário quando for a uma consulta.


O que deve ter sempre em casa

  • bolas de algodão
  • água oxigenada
  • compressas
  • kit de escovagem (ver imagem abaixo) composto por uma escova de cerdas macias, uma escova para desembaraçar e um pente para retirar detritos
  • corta-unhas específico (também na imagem abaixo)
  • desparasitante, se o souber utilizar devidamente (opte por Advantage 40 ou Stronghold, o último é interno e externo)
  • balança


O que NÃO pode usar

  • Frontline
  • Pó para as pulgas
  • Champô para as pulgas (são aconselhados para gatos e cães, mas não para coelhos)

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Desenho 2


Créditos: theumbrella.deviantart.com

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Devo castrar ou esterilizar o meu coelho?

Muitos donos de coelhos deparam-se com esta dúvida quando o comportamento dos seus coelhos muda, quando querem ter mais de um coelho ou quando a marcação de território é muito frequente. E a resposta, numa só palavra é: sim. Se procura a resposta em mais palavras, então continue a ler.

Vantagens da castração e esterilização

Tirando a vantagem mais evidente, que é evitarem-se gravidezes indesejadas, existe uma série de outras vantagens secundárias às intervenções:
  • A coelha deixa de poder sofrer gravidez psicológica (pode consultar o artigo aqui no blogue)
  • Diminui a agressividade, tornando-o mais pacífico e mais fácil de lidar
  • Diminui a marcação de território e torna mais fácil o litter training
  • Diminui o comportamento destrutivo
  • Elimina a grande possibilidade de cancro no aparelho reprodutor: nas fêmeas os uterinos e do ovário (que são das mais elevadas causas de morte em coelhas adultas jovens); nos machos o cancro dos testículos. Nas fêmeas o cancro mamário também é reduzido, embora não eliminado por completo, assim como outras doenças do tracto reprodutivo
  • Elimina o "acasalar com tudo o que aparece à frente" e a tensão sexual

Idade

A idade mais indicada para proceder a estas intervenções é quando os coelhos atingem a maturidade sexual, ou seja, aos 6 meses (começa aos 4, mas o aconselhável é aos 6).

Num coelho com as estruturas reprodutivas ainda imaturas e não completamente desenvolvidas, a cirurgia torna-se muito mais complicada e arriscada. Contudo, nada substitui um exame do seu veterinário.

As intervenções

Fêmea (esterilização) - remoção dos ovários e útero da coelha

Macho (castração) - ablação dos testículos

Preços

Dada a natureza da intervenção na fêmea, esta será sempre mais cara do que num macho. Os preços médios rondam os 50€ por castração e 150€ por esterilização. Contudo, tanto pode encontrar mais barato como mais caro, mas lembre-se de escolher sempre pela capacidade e experiência de um veterinário e não pelo preço.


Riscos

Dado que são cirurgias que envolvem anestesias, há sempre riscos associados. Lembre-se que as anestesias em gás são mais seguras para os coelhos do que as injectáveis.
Assegure-se de que o seu coelho não está doente nem obeso, pois estes factores potenciam que as coisas venham a correr mal.
A zona da incisão terá de ser bem cuidada e deverá manter-se asséptica para que não haja o risco de infecções oportunistas. Por isso, é vital manter bastante limpo o local onde se encontra, para que não se deite sobre fezes ou urina.
A alimentação deve ser cuidada e deve assegurar-se que o seu coelho está normal em termos de comportamento (dentro dos possíveis).
A taxa de mortalidade neste tipo de intervenções é de 1%, associada a anestesia.


Perguntas que deve fazer ao seu veterinário

  1. Quantos coelhos o veterinário tem como pacientes
  2. Quantas castrações ou esterilizações já fez esse ano
  3. Qual a taxa de sucesso (deve ser cerca de 99%, ou então encontre o próximo veterinário)
  4. Porque morreram esses coelhos (se não souber explicar, fuja)
  5. Se na esterilização remove o útero, os ovários ou ambos (deverá responder que remove ambos)
  6. Se faz castração aberta ou fechada (deixe que lhe explique as diferenças, tendo em conta que a fechada é sempre preferível)
  7. Se a entrada no organismo do macho é feita através do abdómen ou do escroto (o escroto é preferível, pois de outro modo aumentará o grau de trauma)
  8. Que tipo de anestesia é utilizada
  9. Se monitoriza os sinais vitais do coelho (se não o fizer, caso o coelho entre em stress o veterinário não vai notar e o mais certo é que o coelho morra de paragem cardíaca)
  10. Se o coelho necessita de estar sem comer antes da operação (o coelho deve comer até 2h antes da cirurgia, ao contrário de cães e gatos que requerem jejum de 12h)

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Diarreias nos coelhos

Infelizmente a diarreia é (demasiado) comum nos coelhos. Se o seu coelho estiver com diarreia, sabe o que deve fazer? Se não sabe, então o melhor é ler os pontos seguintes pois pode ser muito grave e acabar com o seu coelho morto se não agir rapidamente.

Ponto 1: o tipo de diarreia

Existem dois grandes tipos de diarreia: a aguada e as fezes moles. Se o seu coelho apresenta a primeira, o melhor é correr com ele para o veterinário, pois nestes casos a mortalidade nas primeiras 24h é altíssima, e tem de levar em consideração que o momento em que descobre o seu coelho dificilmente será a hora 0. Se a diarreia constar "apenas" de fezes mais moles do que o costume, então pode ser algo passageiro nas primeiras 24h (se ultrapassar esse período é levar ao veterinário imediatamente).


Ponto 2: como está o seu coelho e como agir

Existem situações em que o coelho aparentemente está normal, e poderá eventualmente esperar no máximo 24h para ver a evolução. Mas noutros casos o comportamento do pequeno muda completamente. O coelho pode apresentar diversos sinais:
  • letargia
  • não comer
  • não beber
Enquanto espera pela consulta do veterinário (às vezes não podem ser imediatas e pode ter de esperar algumas horas) existem várias coisas que pode fazer para tentar ajudar o seu coelho.
De todos, o mais urgente é o facto de o coelho não beber. O coelho não pode, sob qualquer circunstância, ficar desidratado ou irá morrer. Por isso se não consegue beber sozinho, terá de ser o dono a tratar de o incentivar. Pode aproximar o bebedouro do seu coelho, molhar os dedos e deixá-lo lamber... Também pode fazê-lo com um pouco de infusão de camomila ligeiramente açucarada (uma colher de chá por copo), uma vez que a camomila é indicada para estados de diarreia e o açúcar ajuda a repôr os níveis de glucose no sangue.
Outra coisa a fazer de imediato é cortar na ração e deixar o coelho apenas a feno. A ração é muitas vezes responsável por crises destas nos coelhos, especialmente quando dada em quantidades demasiado elevadas (por exemplo quando o coelho tem ração sempre à disposição). Se o seu coelho não come, tente incentivá-lo com feno (nunca com ração, ou poderá piorar a situação).
Em casos de letargia tente estimulá-lo com aquilo que sabe que ele gosta. Mimos, o brinquedos preferido... O importante é tentar que ele volte a si.


Ponto 3: o que causou a diarreia

Agora que o seu coelho voltou ao normal, terá de saber o que causou a diarreia para que não se volte a repetir. Seguem algumas das causas mais comuns:
  • intolerância alimentar (tem de identificar qual o alimento que provocou a diarreia, por isso quando introduz novos alimentos na dieta só pode introduzir um de cada vez a cada duas semanas)
  • má alimentação (excesso de ração e falta de feno)
  • obesidade
  • parasitas intestinais
  • infecções bacterianas

O veterinário deverá fazer uma cultura para determinar se foi infecção ou parasitas.

sábado, 3 de janeiro de 2009

Apresentar dois coelhos

Uma vez que a noção de coelhos como animais de companhia é relativamente nova, a maior parte das pessoas opta por comprar um coelho inicialmente e, depois da habituação, decide-se a adquirir outro. E surge o problema: como efectuar a adaptação dos dois coelhos? Será que os dois coelhos se vão dar bem? O que posso fazer para minimizar as lutas iniciais?

Passo 1: Preparação

Primeiro que tudo tem de saber se tem condições para manter dois coelhos. Suportar os custos de duas gaiolas (os coelhos podem não conseguir estabelecer hierarquia) e tudo o que envolva a manutenção de ambos... E uma gaiola ou cerca suficientemente grandes para que não existam problemas territoriais constantes.

Dois dos mais importantes factores na introdução são o estado reprodutivo e o território. Qualquer combinação de coelhos esterilizados ou castrados é menos propensa a lutar (duas fêmeas, dois machos ou um casal). Além disso vai evitar ter de manter os coelhos constantemente em gaiolas separadas se tiver um casal (pelos menos se quiser evitar 12 ninhadas por ano e consequente morte da mãe e das crias por fraqueza) e gravidez psicológica na coelha com todos os problemas associados.

Para o coelho, um território neutro significa que é uma zona onde nunca nenhum dos coelhos esteve e considera seu. Idealmente será um espaço pequeno com um chão facilmente lavável e sem locais de acesso restrito a humanos (tem de ter os coelhos sempre no seu campo de visão e num local onde possa intervir).

Se o seu coelho estiver a percorrer toda a casa sem excepções, pode tentar usar a bagageira do seu carro ou pedir emprestada uma divisão da casa de um amigo. Além do espaço neutro, se tenciona juntar os coelhos na mesma gaiola (que tem de ser bastante grande, ou as lutas territoriais dificilmente acabarão), vai continuar a precisar de uma segunda gaiola nos primeiros tempos. Se quiser evitar essa despesa pode sempre tentar pedir uma emprestada, ou usar uma transportadora grande.

Equipe-se com um spray com água, uma grande quantidade de paciência e calma e, se possível, faça-se acompanhar de um amigo experiente.


Passo 2: considerações ao adquirir o segundo coelho

Muitas pessoas acham que têm de arranjar coelhos iguais para que se dêem bem, mas a verdade é que, quando castrados ou esterilizados, um coelho gigante dá-se perfeitamente bem com um anão (e sem surpresas se o dominante for o anão).

Tal como o território, as hormonas fazem aumentar a tensão entre os coelhos. Mesmo quando se eliminam todas as fontes possíveis de hostilidade, a probabilidade de haver comportamento agressivo na apresentação é bastante elevada. Portanto ao apresentar dois coelhos castrados/esterilizados em território neutro já estará a tomar dois passos gigantes em direcção ao seu objectivo.

O temperamento dos coelhos é importante, pois ao juntar dois coelhos com temperamento forte poderá induzir maior quantidade de lutas.

A idade já será algo menor ao determinar a compatibilidade. Não assuma que a sua fêmea adulta vai sentir-se maternal em relação a um bebé, pois tal pode não acontecer.


Passo 3: Cenários comuns

Agora que finalmente está pronto, que já instalou uma gaiola por coelho, tem a sua área de território neutro, um spray cheio de água e a sua dose de paciência infindável, chegou a hora das apresentações.

Primeiro, os coelhos são soltos ao mesmo tempo das gaiolas ou transportadoras e passarão alguns minutos a ignorar-se enquanto exploram o terreno. De repente um dos coelhos vai atrás do outro, que foge. O primeiro monta o que fugiu e não o deixa mexer, e o segundo deixa-se ficar. Isto é bom sinal, pois significa que estabeleceram a hierarquia e quem manda é o primeiro. Mesmo que tenha havido algum pelo a esvoaçar, os coelhos entenderam-se.

Depois de 20 minutos os coelhos devem voltar às respectivas gaiolas, que devem ser mantidas lado a lado para que ambos se habituem ao cheiro do novo companheiro. Posteriormente deverá repetir as sessões de 20 minutos em território neutro diariamente. O primeiro coelho continuará a afirmar a sua supremacia através de perseguições, montar, morder...Eventualmente poderão ocorrer lesões que requeiram cuidados veterinários.

Um dos aspectos mais difíceis para quem está a assistir é decidir quando deve intervir, o que é essencialmente uma decisão que a pessoa tem de tomar. Muitas vezes é difícil separar o lado emocional do racional, especialmente quando o coelho que está há mais tempo em casa é o que sofre. Contudo, se achar que o coelho dominante está a ser demasiado agressivo tem diversas opções como distrair os coelhos através de sons como bater os pés, deixar cair algo no chão ou falar alto ou usar o spray apontado aos focinhos (ter o cuidado de secar os coelhos antes de os devolver às respectivas gaiolas para que não desenvolvam fungos).

Quando vir sinais de que os coelhos estão a cuidar um do outro, então é altura de os colocar em território não neutro, sendo que poderá ter de voltar ao processo das apresentações no novo local.


Existe outra hipótese de encontros imediatos de coelhos: os hostis. Ao fim de poucos minutos os coelhos estarão envolvidos numa grande luta da qual poderão resultar sérias lesões. Os coelhos irão agarrar-se com os dentes, bater na barriga do outro com as patas traseiras e nenhum irá recuar, pois ambos querem ser dominantes. Quando estes coelhos definirem a hierarquia poderão estar seriamente lesionados. Se após algumas sessões os coelhos continuarem sem se entender, deverá considerar mantê-los em gaiolas separadas e soltá-los a horas diferentes.

Por fim existem os casos de amizade instantânea (aviso desde já que não são muito comuns). Os coelhos saúdam-se como se fossem velhos conhecidos e cuidam um do outro. Este está quase resolvido por si mesmo, mas ainda assim o melhor é continuar a fase de apresentações, não vá um deles mudar de ideias por ver o seu território invadido por um estranho.

Tenha em atenção que se um dos coelhos ou ambos não tiverem ainda seis meses, as lutas podem começar nessa altura e só aí verá se tem coelhos compatíveis ou se vai ter de os manter separados.

(adaptado de rabbit.org)

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Limpeza das gaiolas

Limpar as gaiolas não é divertido para ninguém, mas tornando a limpeza tão fácil quanto possível e fazendo um horário torná-lo-á parte da sua rotina.
Não existem regras fixas para a quantidade de vezes que deve limpar, mas uma limpeza ligeira diária vai ajudar a manter a gaiola do seu coelho limpa e o seu coelho saudável.
Como plano geral, marque pelo menos um dia na semana para fazer uma limpeza a fundo na gaiola, dependendo do tamanho e se o seu coelho está treinado para fazer as necessidades num só local.

Limpeza diária

Alguns passos que, executados diariamente, tornam tudo muito mais fácil:
  1. Remova todos os verdes frescos que não foram comidos (fruta e vegetais) duas vezes por dia, de preferência de manhã e à noite;
  2. Remova o feno no fundo da gaiola (se não tiver um recipiente para o feno, então elimine pelo menos o que aparentar estar pisado, húmido ou com dejectos por cima;
  3. Lave os comedouros e bebedouros e encha o bebedouro com água limpa;
  4. Lave os pequenos vestígios de distracções ou falhas ao WC;
  5. Verifique e mude o litter caso seja necessário.

WC e litter

O WC deve ser verificado todos os dias, sendo que permite não só mantê-lo limpo como controlar também a quantidade e aspecto de fezes e urina (detectando mais cedo um possível problema). A frequência com que muda o litter vai depender da qualidade e quantidade deste e das características do seu coelho. Mesmo que use grande quantidade, chegará a uma altura em que o de baixo está por usar e o de cima precisa urgentemente de ser mudado, por isso tenha noção da quantidade ideal de litter que deve usar, pois normalmente é melhor usar menor quantidade e mudar mais vezes, poupando-lhe dinheiro.

Limpeza semanal

  1. Remova todos os acessórios da gaiola e o litter do WC;
  2. Ponha a gaiola e o WC "de molho" durante 10 minutos em água quente;
  3. Use vinagre na gaiola nas manchas de urina, pois ajuda a limpar;
  4. Pode usar detergente simples ou lixívia para lavar a gaiola, desde que enxague correctamente, para que não fiquem resíduos tóxicos;
  5. Lave bem comedouros e bebedouros com água quente;
  6. Limpe todos os brinquedos que possam estar sujos.

Notas e dicas

  • Se tiver utensílios de madeira, o ideal é usar apenas água, pois a madeira pode absorver os produtos utilizados nela.
  • Se quiser desinfectar a fundo a sua gaiola (em caso de doença ou apenas por higiene) use uma solução de uma parte de lixívia para dez partes de água e deixe-a dentro da gaiola durante 30 minutos, assegurando-se que ennxagua extremamente bem e nenhum resíduo se mantém.
  • O vinagre é muito bom para retirar manchas de urina, mas como os coelhos não gostam do seu cheiro o melhor é não usar no WC, não vá ele deixar de lá ir. Contudo, é boa ideia manter um spray com água e vinagre à mão no caso de descuidos do seu coelho fora do WC.
  • Treinar o seu coelho para fazer as necessidades num único local é a melhor maneira de evitar trabalho no futuro.
  • A escolha do litter influencia muito a quantidade de trabalho. Às vezes o barato torna-se caro.
  • Escolher a gaiola certa também é muito importante, pois as superfícies de madeira podem absorver a urina.
  • Esterilizar ou castrar o seu coelho é uma boa maneira de evitar descuidos fora do sítio.
  • Estabeleça um horário para fazer as tarefas, ou continuará a adiá-las indefinidamente.
LinkWithin