Mensagem das autoras

Bem vindos ao blogue.
Esperamos que encontrem por cá ajuda para os vossos problemas ou para resolver as vossas curiosidades.
Caso não encontrem respostas às vossas dúvidas, não hesitem em escrevê-la num comentário, na Cbox ou num e-mail.
Apesar de termos alguns conhecimentos de saúde, não somos veterinárias e não sabemos diagnosticar os vossos coelhos, assim como não compactuamos com negligência. Casos de doença são para os veterinários.
Não pretendemos afirmar-nos como autoridades, mas sim facultar um local onde se possa aprender um pouco mais.

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Litter training

Muitos donos têm dificuldades em saber como ensinar o coelho a fazer as necessidade num único sítio (usar um WC). Os coelhos costumam aceitar bem este treino, embora seja requerida alguma flexibilidade. Os coelhos têm a tendência natural para escolher uma ou mais áreas para fazer as necessidades e isso pode ser utilizado pelo dono como uma vantagem no treino. Contudo, lembre-se que o treino não é infalível e que o mesmo tipo de treino pode não resultar em dois coelhos iguais. Além disso, chegando à maturidade os coelhos terão a tendência de marcar território esquecendo-se por vezes de tudo o que lhes foi ensinado. O treino abordado costuma resultar na maioria dos coelhos e, apesar de ser mais fácil treinar um coelho novo, não desista à partida se adquirir um coelho já adulto, pois não é impossível.

O litter, ou material de fundo

Antes do treino começar, precisa de escolher qual o melhor litter. Dado que o seu coelho certamente irá gostar de se deitar no WC é necessário um material absorvente e seguro, e uma vez que a urina dos coelhos tem um cheiro bastante forte, o mais aconselhável será um material que absorva o odor também.
Assim sendo, algumas opções normalmente tomadas pelos donos estão postas de lado: o jornal (que além de não absorver o cheiro também é tóxico se ingerido) e a palha/feno (se colocar feno o coelho poderá ter tendência para o ingerir, o que não é propriamente higiénico). Sobram a areia, as aparas de madeira e os rolos prensados.
Quanto às aparas, elas não absorvem muito bem o cheiro, além de se pegarem constantemente ao pêlo, tornando-se difíceis de remover. Não é a melhor opção, apesar de provavelmente o cheiro agradável a maçã ou limão lhe atrair a atenção (agora imagine esse cheiro misturado com o da urina).
A areia tem um grande contra: o pó que vem misturado na areia causa problemas respiratórios a longo termo. Por isso, a menos que seja um caso de urgência e meramente temporário, não utilize este tipo de material no WC do seu coelho se quiser preservar a sua saúde.
Chegamos então ao que eu e muitos outros consideram ser o melhor tipo de litter: os rolos prensados. Absorvem muito o cheiro e a urina e são fáceis de remover do WC. A título pessoal e sem qualquer patrocínio, deixo a marca que uso e com a qual estou bastante satisfeita apenas como referência, Cat's Best.


O WC

Para utilizar como WC tem algumas opções. Pode adquirir um recipiente próprio para coelhos, que normalmente terão uma zona mais baixa por onde o coelho entra e o resto das paredes altas. Dentro destes poderá escolher entre os WC de canto e os normais, tendo sempre em conta que o coelho deverá caber por inteiro lá dentro, mesmo em adulto.
Contudo, se não quiser despender dinheiro para adquirir esse produto, poderá sempre optar por usar uma caixa de plástico, atentando sempre à altura e área da mesma.


O treino passo a passo

Primeiro ponto: paciência e supervisão. Se um coelho estiver autorizado a urinar e defecar onde quiser no início, será muito mais difícil treiná-lo.
A primeira coisa a fazer é mantê-lo na gaiola/cerca de modo a que o sítio escolhido por ele para fazer as necessidades seja nessa área a não fora. Assim que detectar o local escolhido, deve colocar lá o WC já com litter. O coelho tanto pode começar a usar o WC como optar por outro sítio. Se o último for o caso do seu coelho, então deve mudar o WC para a nova zona escolhida.

Assim que o seu coelho começar a usar o WC, pode permitir a sua circulação numa zona mais alargada, mas ainda assim limitada. O coelho deverá ter acesso ao WC sempre e se qualquer restrição. Observe se o seu coelho demonstra sinais de ir urinar ou defecar (colocar-se um pouco para trás, encolhido e levantar ligeiramente a cauda), pois se os demonstrar deverá colocá-lo imediatamente no WC. Contudo, se ele usar o WC deverá recompensá-lo com algo de que ele goste. Se notar que existe uma área em particular fora da gaiola onde tende a defecar ou urinar, considere pôr um WC também aí.


Ainda assim, irão acontecer acidentes e tem de estar preparado para isso. Se já não for a tempo de o colocar no WC, coloque-o "de castigo" fechado na gaiola durante algum tempo, pois eventualmente ele irá associar o castigo ao que fez. Não vale a pena gritar com o coelho, embora nalguns casos um "NÃO" firme possa obter alguns resultados. Quanto à área onde ele fez as necessidades, limpe com água e vinagre, pois os coelhos não gostam do cheiro e evitará acidentes repetidos (nunca use lixívia, pois os coelhos gostam do cheiro e serão atraídos para lá). Se os acidentes forem muito frequentes, pode sempre colocar o seu coelho no WC a cada dez minutos.


O processo parece penoso, mas poderá obter recompensas dele (como por exemplo não ter de andar a esfregar constantemente o chão). Se notar que o seu coelho tem tendência a esquecer-sedo treino sempre que lava o WC, experimente passá-lo apenas por água em vez de o lavar com os produtos habituais. Se usar um bom litter o WC apresentará apenas o cheiro suficiente para o coelho se associar, não enchendo a divisão.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Escolher um coelho

Não sabe como escolher um coelho saudável? Tem medo de não conseguir identificar qual o coelho que deve levar para casa? Mesmo que um coelho lhe salte à vista e pense "Já não quero olhar para mais nenhum, é mesmo este!" convém fazer um exame geral ao animal para confirmar o seu estado corrente. Tenha em conta que, apesar de muito humano, acolher coelhos doentes não é fácil pois os tratamentos são muitas vezes bastante dispendiosos. Contudo, se assim o decidir, o melhor é que o faça plenamente informado. Seguem algumas dicas para fazer um exame que leva cerca de 10 minutos a realizar e pode poupar-lhe muitos problemas (e se o criador tiver problemas com o exame, não confie nele).

  1. Verifique atentamente a sua idade e quando foi retirado de perto da mãe. Não compre coelhos com menos de dois meses nem que tenham sido retirados com menos de um mês e meio da mãe.
  2. Veja a condição geral do coelho: não deve estar gordo (tem de sentir as costelas e a barriga não deve bater no chão) nem demasiado magro, assim como não deve ter qualquer inchaço.
  3. O pêlo deve estar bem cuidado, sem nós ou peladas (zonas sem pêlo ou com menor densidade de pêlo).
  4. Verifique as fezes do coelho. Devem ser bolas pequenas e sólidas, sem qualquer indício de diarreia.
  5. Olhe para as orelhas, pois o interior deve estar rosado e não vermelho. Verifique se tem vestígios negros no ouvido, pois pode indicar problemas como otites.
  6. Os olhos devem ser brilhantes e não ter secreções (remelas) e o pêlo à volta não deve estar molhado.
  7. Veja o nariz com atenção, pois não deve ter qualquer secreção, nem o coelho deve espirrar.
  8. Tente ver os dentes, para verificar se te algum problema dentário. Os dentes devem estar alinhados, não devem mostrar indícios de estar a alongar para dentro ou fora. Verifique também o queixo e assegure-se que não tem vestígios de baba, que indica potencial problema de dentição.
  9. Observe a respiração, pois não deve ser superficial nem demasiado acelerada.
  10. O coelho deve movimentar-se sem hesitações e sem sinais de preguiça ou relutância em mover-se.
  11. Verifique as condições em que o coelho é mantido, pois deve estar num ambiente limpo, não demasiado concorrido e não sujeito a stress ou doenças (cuidado com coelhos que convivem com porquinhos da índia).
  12. Atente na reacção do coelho a pessoas. Não deve ter medo de se aproximar nem de ser acariciado, assim como não deve mostrar indícios de querer atacar.
  13. Atente às características da raça e veja se tem um bom exemplar em mãos.
  14. Verifique o sexo do coelho para que não leve o "sexo errado" para casa (muito importante quando já se tem outro coelho.
  15. Saiba quem é o criador e se tem muitas ninhadas por coelha por ano. Coelhas que tenham ninhadas com menos de seis meses de intervalo estarão muito fracas e darão crias com saúde duvidosa.

sábado, 27 de dezembro de 2008

Determinar o sexo do coelho


Se comprou um coelho e não sabe se é fêmea ou macho, se teve uma ninhada em casa e gostava de saber qual o sexo dos coelhinhos que tem em casa... Tem de saber como determinar o sexo do coelho.

Criadores experientes conseguem determinar o sexo do coelho com apenas alguns dias (parece impossível, mas não é). Mas se, por exemplo, adquiriu o seu coelho, ele não deve ter menos de dois meses (e se tiver, corra com ele para o criador e exija-lhe que respeite o seu coelho e o venda apenas com a idade adequada) o que é uma idade em que é relativamente fácil determinar o sexo, mesmo para o olho inexperiente.


Como segurar - deite o seu coelho no seu colo (ou segure-o na mão ou ao longo do braço, dependendo do tamanho), com a barriga para cima e a cabeça perto da sua barriga. Com o dedo indicador e o médio da sua mão livre, pressione o topo da área genital. Não tenha medo de pressionar, pois o extremo de um pénis pode parecer-se facilmente com uma vagina se não se pressionar o suficiente.


Se for uma fêmea - terá uma pequena distância entre o ânus e o orifício vaginal. O orifício vaginal aparecerá com um grande declive e uma ponta mais elevada. A vulva pode sobressair e parecer-se com um pénis, mas terá sempre o aspecto não uniforme e não parecerá um tubo direito, mas sim uma pirâmide quando vista de lado.


Se for um macho - a distância entre o ânus e o pénis será maior, enquanto que a ponta será arredondada e uniforme. Entre as 9 e as 20 semanas os testículos descem e aparecerão umas peladas na zona dos testículos, além de que o próprio pénis poderá sair.


Penso que não será preciso referir que convém usar algo que lhe proteja os braços no caso de o coelho começar a espernear. E se continuar com dúvidas, nada melhor do que levar o coelho ao veterinário.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Escolher o casal para procriar

Se já se informou sobre os riscos de criar coelhos, se já conseguiu assegurar todas as condições e disponibilidade monetária, se já está preparado para todas as situações que podem decorrer durante o parto, se já tem o número de um veterinário de emergência, se já sabe o que fazer se a mãe rejeitar as crias... Então o próximo passo é escolher os coelhos com que vai procriar.


O que deve procurar na coelha:

1º Assegure-se que a coelha tem mais de 8 meses e menos de 3 anos.
2º Verifique o estado de saúde e condição física.
3º Assegure-se de que não possui nenhuma patologia congénita passível de ser transmitida às crias (dificuldades de mobilidade, patologia dentária...).
4º Determine a raça da coelha ou, caso seja arraçada, as que lhe deram origem e de qual se aproxima mais. Será sempre preferível criar com coelhos de raça e pense duas vezes antes de procriar outros.
5º Veja as falhas que a sua coelha tem comparando-a com os standards da raça. Veja a postura, tamanho e distribuição do pêlo, cores, corpo, patas, cauda... Essencialmente veja todas as características que devia ter e falhas que ela apresenta.
6º Saiba determinar padrões de cores, pois facilmente poderá enganar-se. Não se podem cruzar todas as cores e padrões, e pode consultar as compatíveis aqui.


Depois da coelha, o que deve procurar no macho:

1º Não deve possuir nenhuma patologia congénita passível de ser transmitida às crias.
2º Deve ser da mesma raça.
3º Deve conseguir cobrir as falhas da sua coelha (p.e. se a sua coelha tiver orelhas grandes demais, tente arranjar um macho com orelhas mais pequenas).
4º Deve ser de uma cor compatível, para que não saiam coelhos com cores não aceites e sejam maus exemplares.
5º Deve ser mais pequeno que a fêmea, de modo a evitar láparos muito grandes que provoquem maiores dificuldades no parto.
6º Nunca deve usar um orelhudo para procriar com um coelho de orelhas erectas, pois os láparos sairão com as orelhas enormes e espetadas.


Nota: Deve saber identificar se os coelhos têm o Max Factor ou Dwarf Gene e preparar-se para a eventualidade de saírem peanuts ou com deformações.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Os custos escondidos de procriar

Existem vários custos durante a procriação, gravidez e crescimento. A maior parte das pessoas não se lembra de tudo o que envolve procriar até se ver aflito, por isso atente no texto seguinte.

Trabalho e disponibilidade - como pode deduzir, criar uma série de láparos e ainda assegurar que a mãe está bem de saúde e capaz de cuidar deles ocupará uma boa porção do seu tempo. Se limpar uma gaiola e alimentar um coelho dá trabalho, experimente multiplicar isso por 6. Atente que se a sua coelha estiver com uma gravidez de risco, então terá de a manter sob vigilância constante, além de que ela poderá rejeitar os coelhos e terá de os criar à mão. Assegure-se de que te tempo disponível e vontade de trabalhar.


Custos de alimentação - uma coelha prenhe e, especialmente, em amamentação precisa de muito mais comida (ração, feno, vegetais diversificados e fruta) e água, assim como suplementos vitamínicos. Depois disso, terá uma série de coelhinhos que começam a comer, e isso também lhe sairá do bolso.

Custos veterinários - se a coelha ou os láparos tiverem uma emergência médica não poderá esperar pelo dia seguinte para os levar ao veterinário, dada a sua fragilidade no momento. Tem de ter um médico veterinário que atenda de emergência e, se possível, que faça domicílios no caso de não se poder deslocar os animais. E mais uma vez, isto sairá em grande escala do seu bolso.

Custos de alojamento dos novos coelhos - terá de ter uma gaiola suficientemente grande para ter a coelha e a prole. Depois, se não conseguir dar ou vender todos os coelhos, terá de ficar com eles. Isso implica gaiolas novas, WCs, além de toda a comida e litter, juntamente com trabalho multiplicado pelo número de coelhos que tiver.


A vida da sua coelha e dos láparos - existe numerosas situações que podem pôr em risco a vida de qualquer um deles: láparos presos no canal durante o parto; hemorragias internas durante ou após o parto; láparos com deficiências congénitas; rejeição dos láparos por parte da coelha; ataque da coelha aos láparos (poderá, inclusive, comê-los); necessidade de uma cesariana de emergência... Além disso, uma única ninhada poderá tirar anos de vida à sua coelha e propenciar cancro do útero.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Mitos sobre procriação

Faz bem à saúde - não faz, propencia o aparecimento de cancro, mamites e reduz o tempo de vida da coelha.

A coelha precisa de engravidar - não, a coelha não precisa de experienciar a gravidez, os coelhos não têm qualquer necessidade de maternidade.


A gravidez psicológica significa que a coelha quer muito ser mãe - não, significa apenas que a presença de um macho (não necessariamente um coelho) lhe despoletou estímulos hormonais que levaram a uma gravidez psicológica. Se tiver dúvidas consulte o post sobre o assunto já escrito neste blogue.

A coelha fica feliz ao ser mãe - não fica feliz nem triste. Simplesmente cumpre o seu dever e segue a sua vida. Isto quando não rejeita as crias.

Os coelhos precisam de satisfazer os apetites sexuais - são algo inerente à existência, é certo, mas se para satisfazer os apetites sexuais está disposto a abdicar de anos de vida da sua coelha, então devia repensar a sua posição de dono e deixar-se disso.

Vai-me dar dinheiro - não, vai é dar-lhe custos elevados, e caso haja problemas durante o parto ou gravidez, custos elevadíssimos em veterinários de emergência se quiser salvar a vida da coelha e láparos. Se tiver sorte, com a venda dos coelhos consegue quase compensar os custos que teve.


Posso procriar várias vezes por ano - apesar da sua fama de procriadores intensivos, uma coelha não deve procriar com intervalos inferiores a seis meses (ou seja, duas ninhadas por ano no máximo), além de que a sua idade deve estar entre os 8 meses e os três anos, nunca antes nem nunca depois. Respeite isto a menos que queira vê-la a morrer de exaustão ou de problemas no parto (muito maiores fora das idade referidas).

Vai acalmar o comportamento do meu coelho - se o seu coelho anda a querer procriar com tudo o que vê à frente, certamente não será uma vez que os junta que o assunto fica resolvido. Arranje-lhe um peluche ou castre-o, senão o problema nunca se irá resolver.

Quero experienciar ter uma ninhada em casa - se for egoísta o suficiente para pôr a vida da sua coelha em risco por um capricho seu, então vá em frente... Mas para mim deveria deixar de ter coelhos em casa se a sua única razão for essa.

Posso juntar um casal de coelhos desde novos - ponto um, uma coelha pode emprenhar com 4 meses, que é metade da idade que deveria ter na primeira ninhada, por isso é um risco imenso e acredite que vai acontecer. Depois os coelhos estarão constantemente a copular e isso vai-lhe dar ninhadas atrás de ninhadas. Para terminar, os coelhos são territoriais, e não é o facto de serem um casal que vai acalmar as brigas infernais.

O macho vai ajudar a coelha a criar os láparos - nunca junte o macho e a fêmea depois do parto. Não só corre o risco de ela voltar a emprenhar como ainda o macho pode matar os láparos.


Posso juntar quaisquer coelhos e procriar - não, não pode NUNCA juntar um orelhudo a um coelho de orelhas normais, pois vão nascer coelhos com orelhas enormes espetadas. Não junte também de raças diferentes: nós andamos a trabalhar para melhorar as raças e não para as diluir ainda mais. Certifique-se também de que as cores são compatíveis.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Sinais de que o seu coelho está doente

Caso detecte qualquer um destes sinais ou qualquer alteração de comportamento do seu coelho, leve-o imediatamente ao veterinário, pois muitas vezes os coelhos só demonstram os sintomas quando a doença já está muito avançada.


- diarreias muito fortes e frequentes
- não defecar ou urinar
- ventre inchado
- fezes ou urina com sangue *
- muco branco ou transparente a sair do ânus
- parasitas nas fezes
- recusa de comida ou água
- queixo molhado ou babado
- corrimento nasal e/ou espirros
- problemas respiratórios (respiração acelerada / respiração superficial...)
- cabeça torcida
- orelhas descaídas
- olhos inchados
- olhos lacrimejantes com corrimento
- ranger os dentes (sinal de dor) **
- queda de pêlo muito acentuada com formação de peladas ***
- crostas gordurosas na pele
- lamber, roçar ou coçar uma zona do corpo em demasia
- temperatura anormal
- perda de forças
- tremores
- perda de equilíbrio
- apatia
- agressão súbita
- perda de interesse no que o rodeia
- incapacidade de descansar e/ou dormir
- relutância em mover-se
- manter as pernas esticadas ou encolhidas o tempo todo
- feridas nas patas ou unhas a escamar
- dificuldade na locomoção
- inchaços na generalidade (em todo o coelho)

* não confundir com alterações da cor da urina devido à alimentação
** há que saber distinguir o ranger de dentes de dor do de contentamento
*** não confundir com mudança de pêlo em certas alturas do ano

Este post teve a colaboração da Sara Neves, a quem agradeço todas as informações.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Coelhos como prenda

Como já muitos sabem, há muita gente que no Natal resolve oferecer animais... Claro que alguns apenas aproveitam a ocasião para oferecer uma prenda há muito desejada, mas outros compram apenas porque se lembraram.

O problema disto é que os animais nem sempre são aquilo que se espera e dão trabalho. Os coelhos, devido ao seu aspecto e aos numerosos estereótipos que existem, são tidos como animais fofinhos, semelhantes a peluches. A questão é que não são peluches, são seres vivos, que têm o seu feitio próprio, comportamento próprio e até podem nem ser sociáveis.

O que acontece quando a pessoa que recebe o coelho como prenda não está preparada para o ter? Bem, normalmente ao fim de 3 meses estão prontos a dá-lo, estão saturados e estão desiludidos com o animal que lhes calhou. E o pobre animal, que não tem culpa de nada a não ser de parecer fofo o suficiente para que toda a gente pense que ele é, vai começar a percorrer casas, e às vezes até a ser abandonado (sei de um caso em que um coelho raçado de angorá foi encontrado à berma da estrada)...

Por isso, se quer realmente oferecer um coelho a alguém, certifique-se de que a pessoa sabe com o que pode contar, que não criou falsas expectativas em torno do animal e que sabe o necessário para cuidar bem dele. Se viver com essa pessoa, prepare-se para ter de assumir a responsabilidade de ter de cuidar dele caso a pessoa recue na decisão.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Mini Lop



Características gerais

Nome comum: Mini Lop
Outros nomes: German Lop, Dwarf Lop (ReinoUnido)
Origem: Estados Unidos
Tamanho: anão
Aceite na ARBA: 1980


Standards

Cores: Agouti, broken, pointed white, self, shaded, ticked, wide band
Peso: até 2,800kg (E.U.A.); até 1,600kg (Europa)
Corpo: curto, largo e musculado; pescoço visível; peito largo curvando junto aos ombros; patas dianteiras curtas, largas e direitas; patas traseiras curtas e paralelas ao corpo; cauda direita, forte e peluda
Pêlo: denso, curto e com bastantes pêlos de guarda
Cabeça: bem desenvolvida, arredondada; espaçamento grande entre os olhos e zonas de origem das orelhas saliente
Orelhas: caídas, grandes, pêlo denso, pontas arredondadas, devem pender junto às bochechas sem mostrar o interior


Outras características

Número médio de crias: 3 - 5 (podendo ir até 8)
Temperamento: normalmente dócil, podendo ser menos activo do que a maioria (havendo inúmeras excepções)
Cuidados com o pêlo: médios
Genes: não costumam apresentar max factor ou crias peanuts
Postura: em descanso têm tendência a sentar-se com cabeça erguida e peito à mostra, apresentando uma curvatura a nível das costas, patas dianteiras e traseiras juntas


Sites de interesse

Guia de cores
Mini Lop Rabbit Club of America

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Comportamentos comuns, hábitos e linguagem


Muitos são os comportamentos e aquelas pequenas coisas que o nosso coelho costuma fazer que nos deixam preocupados ou sem saber o que pensar... Segue uma lista de vários comportamentos que um coelho pode ter e a explicação.
  • Ingerir as fezes - já viu o seu coelho a comer uns cocós e assustou-se. Não se assuste, esse comportamento chama-se cecotrofia ou coprofagia e além de completamente normal é bastante importante para a sua saúde. As fezes que eles às vezes expelem e não são as bolinhas Nesquik a que estamos habituados chamam-se cecotrofos, e são muito ricos em nutrientes. Além disso, os coelhos pequenos têm necessidade de ingerir os da mãe para que as bactérias necessárias ao sistema digestivo passem também para o seu, ou terão problemas no futuro.
  • Acasalar com tudo o que vê - os coelhos, especialmente os machos, quando chegam à adolescência normalmente têm a tendência de acasalar com tudo o que lhes aparece à frente (embora as fêmeas às vezes também o façam). Se não pretende castrar o seu coelho, tente arranjar-lhe um peluche para namorar à vontade (nunca opte por juntar um casal de coelhos só para tentar resolver isto).
  • Fazer uns barulhos quando recebe festas - isto equivale ao ronronar dos gatos. São uns barulhinhos profundos e pouco sonoros que faz quando está a receber festas. Apenas quer dizer que está descontraído.
  • Ranger os dentes - nos coelhos, o ranger de dentes é o sinal indicador de dor mais flagrante. Se o seu coelho ranger os dentes leve-o ao médico, pois costuma ser muito difícil detectar doenças nos pequenos.
  • Esfregar o queixo - se o seu coelho passa a vida a esfregar o queixo em todo o lado, incluindo nos donos, não se preocupe. Anda apenas a marcar território e você passou a ser posse oficial dele.
  • Urina vertical - se o seu coelho faz xixi nas paredes, ou em qualquer posição que não a normal, então está a marcar território. Pode ser mau sinal de que se está a preparar para o fazer no resto da casa, e a única coisa que costuma resolver este problema é castração/esterilização.
  • Mordidas - se o seu coelho já teve outro dono e elas são frequentes, então provavelmente sofreu maus tratos. Se estava a pôr-lhe comida, por ter as mãos a cheirar a ração ele talvez estivesse entusiasmado com o cheiro e nem viu que era a sua mão. Se não foi nada disto, simplesmente podia não estar a gostar que estivesse a mexer no sítio dele. E também podem ser hormonas aos saltos, muitas vezes só mesmo resolvido com castração/esterilização.
  • Escavar tapetes e roer mobília - são comportamentos normalíssimos, mas que não deixam de ser errados. Arranje um sítio onde seja encorajado a escavar e brinquedos para ele roer.
  • Bufar - está chateado e não gosta do que está a ver. Daí para a frente, se o que o está a chatear continuar, o mais certo é um ataque, quer de dentes, quer de unhas (a minha coelha tem muito a mania de atacar a vassoura pois não gosta nada dela, volta e meia e lá vai um ataque de unhas à pobre vassoura).
  • Bater com a pata - às vezes é sinal de alerta, outras vezes é para afugentar algo, outras vezes e porque se assustam, outras é porque lhes apeteceu exigir atenção e/ou comida. Uma das minhas coelhas tinha o hábito de bater com a pata quando nos via a descascar fruta.
  • Lamber - embora normalmente seja interpretado como sinal de afecto, muitas vezes não passa de carência de sais. Experimente arranjar-lhe uma pedra de sais e veja se este comportamento desaparece.
  • Fêmea a retirar pêlo da barriga - possivelmente será uma gravidez ou gravidez psicológica. Leve-a ao veterinário imediatamente para um check-up.
  • Atacar - se o seu coelho atacar os coelhos ou outros animais, então tem um problema sério, pois o mais provável é que volte a fazê-lo. Castração ou esterilização.
  • Alterações de comportamento - não comer e/ou beber ou fazê-lo em menores quantidades, parecer mais sonolento ou molenga, não defecar, não estar tão activo... Tudo isto são indicadores de possível doença. Se detectar alterações no comportamento do seu coelho leve-o ao veterinário.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Como cortar unhas a coelhos?

Aí está uma questão que levanta muitas dúvidas aos donos. Seguem-se três vídeos em inglês que demonstram soluções para o ajudar a perceber como deve cortar as unhas ao seu animal de estimação.





terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Desmistificando

Muitos são os mitos envolvidos na criação de coelhos. Passo a citar alguns, demonstrando o porquê de não serem verdadeiros.

O comportamento do coelho molda-se de acordo com o que é ensinado -
o coelho tem personalidade própria, e embora o ensino seja uma parte fundamental do desenvolvimento do seu comportamento, não é a única.

O tamanho do coelho depende da alimentação - a menos que pretenda ter um coelho subnutrido, obeso ou a tomar factores de crescimento, a alimentação não vai influenciar o seu tamanho. O tamanho é genético, (pense assim, se a sua mãe só lhe tivesse dado comida da Nestlé será que você ficava com um metro de altura? Não faz sentido? Então porque faria sentido num coelho?)

Angorá e bélier são raças de coelho anão - podem ser raças pequenas dentro da variedade enorme de coelhos que existem (alguns chegam a pesar 8kg ou mais), mas não se enquadram nos estalões de coelho anão.



Fruta de conserva é igual à de lata - a fruta de conserva tem muito mais açúcar, pelo que não deve ser dada.

Castrar os coelhos provoca obesidade - o que provoca é um ligeiro sedentarismo devido ao facto de os coelhos acalmarem, mas se fizer exercício correcto não haverá nenhum problema.

O coelho pode comer apenas ração porque é muito completa - a ração é muito completa, sim, mas é altamente calórica e não possui todos os nutrientes nas quantidades desejadas. A dieta certa é alcançada conjugando feno, ração, alfafa, pedra de cálcio, pedra de sais e, se necessário, suplementos vitamínicos.


Pode-se dar banho aos coelhos - os coelhos, além de serem muito sensíveis a mudanças de temperatura, têm um pêlo muito difícil de secar e são propensos a desenvolver fungos. Por isso, se o seu coelho estiver sujo, opte por usar toalhitas para o limpar. Se for mesmo necessário dar banho, use água tépida e seque imediatamente o seu coelho com secador, tendo o cuidado de não o queimar.

Não é preciso escovar os coelhos de pêlo curto - claro que os de pêlo comprido necessitam de mais cuidados, mas os de pêlo curto necessitam de escovagem para retirar o pêlo solto, para que não se formem bolas de pêlo no estômago.

Pode-se dar qualquer desparasitante, incluindo o Frontline - o Frontline está especialmente contra-indicado para coelhos devido a um excipiente que faz parte da sua composição e pode ser mortal para coelhos. Isto foi dito por uma representante dos laboratórios que fabricam o produto, por isso a informação é de confiança. Alguns veterinários não sabem disto, por isso tenha cuidado quando ele for desparasitar o seu coelho. Opte por Advantage 40 ou Stronghold.


Cruzar coelhos aleatoriamente dá novas raças - as novas raças surgem de cruzamentos estudados e de pessoas que sabem o que estão a fazer, e não de cruzamentos aleatórios na base do "vamos ver o que dá".

Posso cruzar coelhos sem preocupações - existem muitos riscos, especialmente para a coelha. Desde láparos presos no canal vaginal, a hemorragias internas, a láparos mortos, a reduzir o tempo de vida da coelha e propiciar cancros...

Podem-se juntar macho e fêmea à vontade enquanto são pequenos, mesmo com quatro meses - com quatro meses, tanto o coelho como a coelha são capazes de se reproduzir, embora não devam a todo o custo. Uma gravidez nesta altura iria certamente levar a coelha à morte.

Juntar duas fêmeas não dá problemas territoriais - dá, a menos que sejam esterilizadas ou ainda nenhuma tenha chegado à adolescência. Assim que uma delas chegar, o mais certo é começarem as brigas, às vezes até à morte.

Pode-se usar areia como litter durante muito tempo - a areia, devido ao pó que tem, causa muitas vezes problemas respiratórios graves, por isso só deve usar em caso de emergência e durante pouco tempo.

Se juntar o meu coelho com uma coelha uma vez resolve os problemas de comportamento - pode resolver durante um curto espaço de tempo por retirar a tensão sexual, mas ela vai voltar e tudo regressa ao mesmo. Pode tentar arranjar-lhe um peluche ou a solução definitiva: castrar.

Quando os coelhos nos lambem é porque gostam muito de nós - normalmente nem é por isso, é porque estão com carência de sais e a nossa pele é uma fonte deles. Arranje-lhe uma pedra de sais.

Se a coelha faz ninho só pode estar grávida - existe um fenómeno chamado gravide psicológica que pode desencadear todos os comportamentos associados a uma gravidez. Não significa isto que a coelha queria ficar grávida, significa apenas que houve uma confusão hormonal no seu corpo que desencadeou esse processo.


Coelhas têm período de cio - a ovulação nas coelhas é induzida pela cópula, não é como os cães ou gatos que têm o cio numa determinada altura do ano ou de X e X tempo.

A coelha só tem gravidez psicológica quando está um coelho presente - qualquer macho pode desencadear uma gravidez psicológica.

Se o meu coelho estiver em casa não apanha pulgas nem doenças como mixomatose - as pulgas podem viajar em si até sua casa, ou simplesmente entrarem para sua casa. Há animais na rua que podem ter pulgas e isso é o que basta para o seu coelho apanhar. Quanto a mixomatose, é transmitida por mosquitos, e eles também entram dentro de casa com a maior das facilidades.


O coelho pode comer de tudo um pouco: alface, batata, espinafres, leguminosas secas, chocolates, cereais com açúcar, pão com manteiga... - nenhum destes produtos deve ser dado. A batata é tóxica para coelhos, a alface pode provocar diarreias... Não dê qualquer um destes alimentos ao seu coelho.

"Albino" é raça - albino é um padrão de características propiciadas por um gene, que podem ocorrer em qualquer raça desde que o gene esteja presente. Relaciona-se com a cor e não com a raça.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Ideias para brinquedos



Muitos donos de coelhos surpreendem-se com o quão brincalhões eles são. A maior parte dos coelhos irá gostar de uma variedade de brinquedos, que têm como função ajudarem os coelhos a manterem-se activos, prevenirem que o coelho fique entediado e ajudar a controlar o comportamento destrutivo do coelho.

Contudo, nem todos os brinquedos são seguros. Tenha atenção aos brinquedos de borracha muito mole, partes de plástico que possam ser engolidas ou qualquer outro material que possa causar problemas gastro-intestinais ou bloqueios. Mesmo que o seu coelho aprecie roer cartão, tenha em atenção que não deve ingerir grande quantidade e que a cola pode ser prejudicial à sua saúde.


Existe uma grande variedade de itens que podem tornar-se óptimos brinquedos para coelhos, mesmo que não venham identificados como tal ou simplesmente sejam coisas que tem por casa.

Algumas ideias:
  • tubos de cartão, tal como rolos de papel higiénico ou de cozinha
  • sacos de papel
  • caixas de cartão (especialmente se fechadas e com algumas aberturas do tamanho do coelho)
  • cestos de verga não tratados
  • bolas para gatos com guizos
  • brinquedos de plástico duro para bebés (como chaves, anéis...)
  • toalhas
  • bolas de palha
  • caixa cheia de papel rasgado
  • madeira não tratada
  • bolas de borracha
  • brinquedos de madeira
  • brinquedos em sisal
  • brinquedos em loofah
  • túneis

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Os 5 produtos mais inúteis no mercado

Carrinho para transportar

Os coelhos não são Nenucos nem algo que se pareça para se arranjar um carrinho de bebé para os transportar. Levar coelhos a passear apenas por capricho já é algo idiota, pois o stress a que os coelhos são submetidos pode ajudar no desenvolvimento de doenças. Depois, se é para passear coelhos, é para o fazer no meio do campo, onde possam correr à vontade (ou pelo menos num espaço grande), e não para o restringir a uma alcofa sem se poderem mexer.

Desodorizante

Os coelhos não cheiram mal. E se o seu cheira, então provavelmente não anda a tratar da higiene dele decentemente, e não é um desodorizante que vai resolver isso. Ainda assim, se quer o seu coelho a "cheirar bem", o máximo que pode fazer ocasionalmente é limpá-lo com toalhitas (e ainda assim não o deve fazer com frequência pois pode estragar-lhe o pêlo).

Suporte para legumes

Isto simplesmente é completamente dispensável. O seu coelho não precisa de uma cenoura enfiada entre grades... Aliás, se a suspender na gaiola vai-lhe proporcionar exercício e divertimento durante muito tempo, ao invés de gastar dinheiro em algo como isto para depois o seu coelho arrancar a cenoura lá de dentro.

Suporte para fruta

Mais uma vez, deixe-se de gastar dinheiro e suspenda uma maçã na gaiola... Os coelho não precisam de uma espetada de maçã na gaiola... E além disso, se espetar vai levar mais rapidamente à oxidação da fruta, levando-a a perder qualidades mais rapidamente.

Rampa para gaiola comum

Vamos lá ver uma coisa... Você tem um coelho. E qual é a característica mais associada a coelhos? Eles saltam. Então por que raio vai você comprar uma rampa para ele ultrapassar 10cm de altura? Se ainda tivesse a gaiola alta, a meio mero do chão era uma situação compreensível (e ainda assim o seu coelho saltaria para dentro e para fora da gaiola), por isso uma gaiola normal não precisa de rampas, isso é incitar o seu coelho a não se mexer.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Casa à prova de coelhos


Um coelho deve estar pelo menos duas horas solto (fora da gaiola). Para isso há que ter em conta que a casa tem de estar pronta para a invasão. O que é que isso implica?
  • manter os fios eléctricos fora do seu alcance - os coelhos têm muita tendência a roer fios, desde cabos de televisão, do telefone, do computador, das colunas da sua aparelhagem, da tomada eléctrica... O que significa que o seu coelho pode acabar electrocutado e/ou você ficar sem os aparelhos. Pode optar por esconder os fios, colocá-los atrás de calhas ou isolá-los com material próprio que impede os coelhos de os roerem.
  • garantir um local onde o coelho é encorajado a escavar - a necessidade natural dos coelhos escavarem está presente em todos, por isso se quer que os seus tapetes escapem às unhas do seu coelho, arranje uma caixa com jornal onde o seu coelho possa escavar à vontade.
  • desça ao nível do seu coelho - nem sempre os perigos estão visíveis para nós, mas dos seus 20cm o coelho pode ver algo, por isso o melhor a fazer é descer ao seu nível e tentar detectar algo que não conseguiria ver mais de cima.
  • retire as plantas do local onde o seu coelho vai andar - a maior parte das plantas ornamentais são tóxicas para os coelhos, podendo provocar a sua morte. O facto de estarem num sítio alto onde o coelho não consiga chegar não pode ser considerado uma alternativa, pois as folhas ao caírem são um perigo na mesma.
  • o seu coelho vai tentar roer toda a madeira - portanto tente proteger a sua mobília favorita. As pernas de cadeiras podem ser enroladas em plástico ou borracha. Providencie pedaços de madeira não tratada diariamente ao seu coelho para que não tenha tanta tendência para roer os móveis.
  • não aos espaços apertados - bloqueie todos os espaços apertados onde o seu coelho se possa esconder.
  • decida o grau de liberdade - baseie-se no nível de treino do WC, na idade do coelho e o nível de supervisão que vai ter.
  • prepare-se para desastres - eles vão acontecer, por isso encha-se de paciência.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Sobre os criadeiros

A maior parte das pessoas não entende os perigos de comprar coelhos a um criadeiro. Aliás, a maioria não sabe distinguir um criadeiro de um criador a sério. Um criadeiro é aquele que não respeita as regras da criação.

Qual o problema dos criadeiros? (um criadeiro pode ter apenas uma ou várias das características mencionadas a seguir):
- Não respeitam a(s) raça(s) que estão a criar, fazendo cruzamentos aleatórios
- Nem sequer fazem cruzamentos entre a mesma raça
- Tiram os filhos demasiado cedo da mãe, podendo provocar mamites na coelha por secagem do leite ainda existente e dando quase sempre origem a coelhos muito fracos de saúde (acabando alguns por morrer passado pouco tempo)
- Abusam da coelha, acabando por matá-la e dar origem a coelhos fracos de saúde
- Dão informações erradas apenas com o intuito de vender os coelhos, enganando os donos que, ou se arrependem da compra e os abandonam quando descobrem a verdade, ou seguem os conselhos e matam o coelho

Tipos de criadeiros:
- o criadeiro que acha que o seu coelho é tão fofo que devia ter descendência
- o criadeiro que cria desenfreadamente porque quer fazer muito dinheiro
- o criadeiro "ups aconteceu, e agora?"
- o criadeiro que acha que a sua coelha deve experienciar a gravidez pelo menos uma vez na vida
- o criadeiro que cria porque acha que faz bem à saúde da coelha
- o criadeiro que acha que os coelhos devem satisfazer os seus apetites sexuais

Como reconhecer um criadeiro:
- vende os coelhos (demasiado) baratos
- a sua coelha teve outras ninhadas há menos de seis meses e/ou tinha menos de oito meses quando emprenhou ou mais de quatro anos
- tirou os coelhos da mãe antes de completarem um mês e meio
- vende os coelhos com menos de dois meses
- não mostra os pais aquando da compra e/ou evita mostrar fotos aquando do contacto
- não sabe dizer qual é a raça / diz que é uma raça que nada tem a ver com os seus coelhos
- não sabe as características da raça (a nível de standards, comportamento...)
- diz que o coelho não precisa de vacinas, nem sequer de veterinário
- diz que são animais pouco dispendiosos que dão para ter no quintal
- dá informações como "se os coelhos comerem vegetais morrem"
- aconselha ração de terceira categoria
- anuncia as ninhadas em tudo o que são classificados grátis, assim como fóruns
- vende os coelhos a qualquer um que apareça
- criam mais de duas raças de coelhos
- vendem tudo quanto é animal possível e imaginário (normalmente estes são os vendedeiros)


Ainda tem medo de estar a contactar um criadeiro? Vamos ver alguns anúncios reais e identificar o problema em cada um deles.

Preço: 30€
vendo coelho anão com 9 meses da cor preta muito peludinho e fofinho
também vendo todo o tipo de gado incluindo cabras, ovelhas porcos vietenamitas entre outras especies de gado
também vendo todo o tipo de aves de viveiro
também vendo raças de cães
envista em qualidade e quantidade

Este é um fácil para começar... Vende tudo e mais alguma coisa e ainda escreve em mau português. De certeza que se fizesse um bom preço vendia a própria mãe. Dificilmente o coelho será de qualidade de raça, e pelo preço que pede seria a única justificação possível. Quer é ganhar dinheiro.

Coelhos anões bélier
São os das fotos
Nasceram a 22 de outubro
Aceito reservas
Preço: 25€

E aqui, quem adivinha o erro? O preço parece estar bem, até mostram fotos, mas algo está errado... Muito simples: coelhos bélier não são coelhos anões. Uma pessoa compra os coelhos pequenos e fofos, e quando dá por eles são do tamanho da gaiola. Se tiver problemas de espaço, certamente um coelho que parece um cão não é a melhor opção. E vão vendê-los como se fossem a coisa mais minúscula, é garantido.

Vendo coelhos anões
Nascidos há menos de um mês
Meigos e brincalhões
Preço: 20€

Esta é facílima... Coelhos anões a serem vendidos com menos de um mês? Metade deles vão morrer em menos de um mês e a outra metade vai ficar com a saúde debilitada por ter saído demasiado cedo de ao pé da mãe.

vendo chau chau, pincher,caniche,rotwailler,pastor alemao, boxer,pavoes,gatos persa,coelhos anões, chichilas, todo o tipo de bicharada!! td a bom preço!!

Só isto a dizer: Vendedeiro: FUJAM!! Vai-vos impingir tudo o que não é verdade, desde raças que não existem a coelhos debilitados.

Vendo coelhos anões angoras a 10€ cada
Envio fotos por email dos coelhinhos e dos pais.
Coelhinhos desparazitados.

Coelhos angorás, tal como os bélier, não são coelhos anões! Além disso, angorás em Portugal são raríssimos, e muito menos custariam 10€. Isto é alguém que claramente não percebe um mínimo de raças (vá, já vi pior, dizerem que vendiam angorás de pêlo curto, quando a sua característica mais básica é exactamente pêlo muito comprido) e chama angorá a um coelho ligeiramente peludo (e ainda por cima engana e diz que é anão).

Vendo coelhos anões angora, disponiveis 2 pretos, 2 cinzentos e um branco.
Saiem desparazitados.
10€ cada.
Passamos factura se quiserem, mas acresce o iva de 20%.
Mais no inicio do proximo mês a sair.
Vendemos tambem hamsters sirius a 1,75€ cada e hamsters russos a 2,75€ cada.
Porquinho coronet a 15,00€ raça pura

Este é o verdadeiro teste à paciência de qualquer um... Dizem ter angorás (difícil, especialmente a 10€), dizem que são anões (angorás não são anões), vendem coelhos ao preço da uva mijona, dizem que vão ter mais daí a um mês (criação em massa sem descanso da coelha, na certa, o que dá coelhos fraquíssimos e eventualmente mata a progenitora) e ainda por cima ainda vendem mais bichos no mesmo anúncio.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Estudo sobre coelhos

Olá a todos... Venho pedinchar a vossa colaboração numa pesquisa sobre a manutenção de coelhos em Portugal.

É muito rápido responder à pesquisa (demora cerca de 5 minutos) pois tem apenas 31 perguntas, sendo que possivelmente não terão de responder a algumas. Têm acesso aos resultados parciais no fim de enviarem as vossas respostas ;)

Este estudo é importante para saber que áreas ainda estão frágeis em termos de conhecimentos dos donos dos coelhos e quais os hábitos do coelho e do seu dono.

Se tiverem mais de um coelho e quiserem apenas responder uma vez, incluam os dados do coelho que está há mais tempo convosco.

Basta dirigirem-se ao seguinte link e começarem a responder: http://www.tigersurvey.com/survey.php?survey=8405


Agradeço desde já a vossa colaboração!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Como conquistar o seu coelho

Está à procura daquela fórmula mágica para conseguir que o seu coelho goste de si? Quer que o seu coelho não tenha medo de si? A fórmula mágica existe, e chama-se paciência.

Muitas pessoas ficam desiludidas e tristes quando o seu novo coelho chega a casa: em vez de ser o animal brincalhão e expressivo que esperavam, ele limita-se a olhar para o novo dono de dentro da gaiola sem se mexer. E então quando tentam mexer-lhe ou, ainda pior, pegar-lhe, é o descalabro total... Esperneiam, fogem, escondem-se...


Por isso se quer que o seu coelho se sinta bem consigo, aqui vão alguns passos que deve respeitar para ganhar a confiança do coelho:
  • Não abuse do seu espaço - Ao chegar a casa coloque-o na nova gaiola para que se habitue ao espaço, certificando-se de que tem ração, feno e água à disposição. Não tente mexer nele nem fazer-lhe festas, pois ele precisa de definir o seu território primeiro.
  • Deixe a porta da gaiola aberta - Quando o coelho se habituar à nova gaiola, vai estar ao mesmo tempo desejoso e receoso de explorar o espaço além dela. Não o obrigue a vir para fora, ou facilmente ele se colará ao chão sem se mexer ou fugirá para um canto. Deixe a porta da gaiola aberta para que ele saia quando se sentir confiante.
  • Não o faça sentir-se ameaçado - Se o coelho tiver finalmente saído da gaiola para explorar o resto da casa e você imediatamente for atrás dele, o mais certo é que corra para trás e volte a ir para a gaiola. Se ele está a explorar a casa, desde que devidamente seguro, deve deixar o coelho andar à vontade sem fazer movimentos bruscos ao pé dele.
  • Deixe-o conhecê-lo - Sente-se ao nível dele a fazer qualquer coisa como ler um livro, ver um filme, trabalhar no computador, etc (pois pode apanhar uma valente seca à espera). Se o seu coelho se sentir confiante, depois de conhecer o novo território vai querer conhecê-lo. Deixe-o aproximar-se à vontade, cheirá-lo e saltar-lhe para cima. Mais uma vez não o tente agarrar, pois ao sentir-se ameaçado vai identificá-lo como "objecto suspeito".
  • Suborne o seu coelho - Nada melhor para incentivar o coelho a aproximar-se e considerá-lo seguro do que um pouco de suborno alimentício. Pegue no alimento preferido dele e coloque-o ao pé de si. Se conseguir, faça-lhe umas festas para que associe esse acto ao prazer de comer, mas apenas quando ele já não o estranhar.
Se pensa que isto acontece em três dias, normalmente está enganado. Pode levar mais do que uma semana a conseguir conquistar a confiança dele, mas eventualmente ele irá apreciar a sua companhia. Contudo, lembre-se que nem todos têm os mesmos hábitos ou necessidades afectivas, e tanto pode ter um coelho que adora colo e mimos (raro) como um que só vai quando lhe apetece.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Análise de artigos - brinquedos

Ninguém quer ver os seus coelhos aborrecidos e stressados, mas comprar itens sem se saber se vão despertar a atenção do seu coelho também não é boa política... Por isso aqui fica a análise de alguns dos produtos mais vendidos e a respectiva classificação atribuída por mim.

Cenoura em sisal

Comentários: apesar de ter textura e cores apelativas e de não ser prejudicial para a saúde do coelho, este tipo de brinquedos não costuma atrair muito a atenção dos pequenos. Apenas os que têm o hábito de roer tudo o que lhes aparece à frente têm a tendência de ligar ao objecto. Ainda assim, por distrair os coelhos de roerem outras coisas, é um brinquedo a considerar.
Classificação:

Bola em madeira para snacks

Comentários: além do material ser dos preferidos para roer, a "bola" tem buracos onde se podem pôr pedaços de fruta ou vegetais, fazendo com que o coelho se entretenha durante horas a roer ambos. É bastante bom porque estimula-os a roerem bastante, o que é bom para os dentes.
Classificação:

Túnel em nylon

Comentários: apesar de se saber que os coelhos adoram túneis, mais facilmente se interessam por correr entre o cortinado e a parede do que pelo túnel. Além disso, as dimensões são bastante reduzidas, impossibilitando a circulação dos coelhos quando ficam maiores. Para ajudar ainda menos, se o coelho se lembra de urinar lá dentro, às vezes so se nota quando o cheiro já encheu a divisão.
Classificação:

Cilindro em madeira com guizo

Comentários: mais uma vez, um artigo de madeira. Desta vez, em vez de comida temos um guizo... que funciona tão bem ou melhor ainda. O barulho incentiva o coelho a perseguir o brinquedo, que pela natureza da sua forma tem tendência a rolar, obrigando-o a correr atrás dele. Não só é bom para os dentes como ainda o faz mexer-se.
Classificação:

Túnel de loofah

Comentários: o primeiro artigo totalmente comestível. Feito a partir de fibras vegetais, é um túnel pequeno bastante bom para o seu coelho passar e roer sem problemas de poder ingerir algo que lhe faça mal. Apesar dos risco da urina poder entranhar-se nas fibras, é um bom produto a considerar.
Classificação:

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

As minhas escolhas - alimentação

(e há que dizer que as escolhas são também da minha coelha, ela também tem direito a opinião)

Ração: Vitakraft menu para coelhos (ração muito completa nutricionalmente e com preço acessível)

Feno: não tenho preferência por nenhum em especial, mas tenho boas referências do Bowit (tem é de parecer verde ao invés de alguns que parecem palha)

Alfafa: cubos de alfafa prensada da Sun Seed ou Quiko (não tenho é imagem)

Pedra de sais: a da Trixie, uma pedra cor-de-rosa e redonda, com suporte para as grades da gaiola

Pedra de cálcio: mais uma vez, da Trixie. A pedra de sais com cubos de vegetais e algas (as simples eram ignoradas, enquanto que esta quase foi trocidada no primeiro dia, além de as algas serem um bom complemento para uma boa pelagem)

Vitaminas: Vitamin drops de mel e leite da Trixie, são um óptimo complemento e baixo em calorias. No início ela estranhou um pouco o sabor, mas lá se habituou e gostou.

Guloseimas: barras de beterraba da Vitapol, a minha coelha é louca por elas (também não tenho imagem, procurei por todo o lado e nada).

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Análise de artigos - 1

Decidi criar uma categoria neste blogue para analisar vários artigos para coelho que estão no mercado. Muitas vezes no impulso da compra levamos coisas que até nem precisamos e muitas vezes os nossos coelhos nem lhes ligam. Os artigos levarão uma pequena análise e uma classificação de 0 a 5, e têm como base a minha experiência com as minhas três coelhas e experiências de amigos (entre eles uma pessoa que possui uma loja de animais), e não conto com nenhum patrocínio. Muitas vezes irão ver ilustração da Trixie apenas porque é um dos catálogos com maior variedade de produtos a que consigo aceder.

Comida para Coelho Anão Vitakraft

Comentários: além de ser uma ração muito equilibrada a nível nutricional, o seu preço e a facilidade de a encontrar no mercado tornam-na extremamente atractiva. Tem a desvantagem de ser uma ração com diferentes tipos de granulado, podendo levar o coelho a tentar escolher a comida que quer e a deixar o resto, mas dada nas devidas doses a situação deverá ser facilmente evitada. Tem uma aceitação muito fácil por parte dos coelhos e raros são os animais que reagem mal a nível intestinal.
Classificação:

Bebedouros de esfera com sistema de encaixe

Comentários: não há dúvidas que os bebedouros automáticos são os melhores, pois evitam a contaminação da água e o desenvolvimento de fungos (desde que devidamente lavados). Agora a questão: qual o melhor método para prender o bebedouro? Será que os bebedouros com sistema de encaixe são vantajosos? Para mim não apresentam qualquer vantagem em relação aos bebedouros com arame, pois o preço é mais alto e o sistema um pouco mais complicado, além de que podem não resultar em todas as gaiolas.
Classificação:

Transportadoras de plástico

Comentários: as transportadoras de plástico são as mais comuns. Normalmente até se utilizam as de gato, que são pequenas o suficiente para se poderem transportar e têm bastante espaço para um coelho. Contudo, a sua lavagem é dificultada quando o sistema de encaixe da parte superior e inferior não permitem a sua separação sem se partir. Contudo, comparativamente às de tecido a secagem é bastante mais rápida.
Classificação:

Comedouros em cerâmica

Comentários: sem qualquer sombra de dúvida, para mim estes comedouros são os melhores do mercado. Os de plástico acabam inevitavelmente roídos e os de metal são muito leves, fazendo o coelho virá-los em menos de três segundos. Os de cerâmica, pelo seu peso, não permitem que o coelho os vire com tanta facilidade.
Classificação:
LinkWithin